Compartilhar
Facebook
Twitter
Longevidade presente e futuro brilhante
17/04/2019

Há três décadas, um grupo de farmacêuticos magistrais compartilhava o sonho de ver a farmácia de manipulação mais forte no mercado. Valorizar a instituição era o objetivo da época. De lá para cá, a Anfarmag firmou-se como uma entidade forte e protagonista, teve atuação decisiva em prol da perenidade do setor repetidas vezes e tornou realidade demandas de inúmeros profissionais e empresas.

O atual presidente do Conselho de Administração da Anfarmag, Adolfo Moacir Cabral Filho, se mostra otimista e consciente do futuro promissor da farmácia de manipulação para o Brasil. Confira o que ele tem a dizer na semana em que a associação completa 33 anos.

 




Adolfo Moacir Cabral Filho
Presidente do Conselho de Administração
 

O associativismo é um instrumento importante para que uma comunidade tenha expressão social, política e econômica. O que essa união representa para a Anfarmag e para as mais de 7.500 farmácias de manipulação do Brasil?

Adolfo – A Anfarmag é a materialização desse pensamento de união. Afinal, a maior parte do nosso mercado é composto por micro e pequenas empresas, e a Anfarmag é o caminho para que as farmácias magistrais concretizem sonhos e possam fazer coisas que apenas as empresas grandes conseguiriam. Projetos como o programa de qualidade Personal Quality, a negociação coletiva com empresas de recebíveis e a qualificação de fornecedores são exemplos disso. O associativismo facilita a vida das empresas em um ambiente competitivo como o nosso.
 

Além dos benefícios para quem faz parte do setor, você acredita que a sociedade também ganha com o associativismo?

Adolfo – Não tenho a menor dúvida. Somente por meio do associativismo, por exemplo, é possível sensibilizar nossas autoridades sobre o fato de que a farmácia magistral presta um serviço essencial à saúde quando manipula para doenças negligenciadas, quando prepara drogas órfãs, quando garante atendimento para a pediatria e a neonatologia, quando adequa a dose e a apresentação farmacêutica dos medicamentos. É o associativismo que vem mostrando para os pacientes, os profissionais de saúde e as autoridades a importância de tratar o indivíduo como único. É por isso que incentivo os farmacêuticos magistrais a sempre abordarem a essencialidade da manipulação em seus discursos.

 

O “Panorama Setorial Anfamag 2018 – Dados Econômicos das Farmácias de Manipulação” mostrou que o mercado magistral é capaz de crescer até mesmo na crise. Na sua opinião, a que se deve esse fato?

Adolfo – A farmácia é um negócio muito resiliente por lidar com a saúde e prestar à sociedade um serviço imprescindível, que salva vidas. Além disso, essa onda mundial de valorização do que é personalizado e exclusivo, em um momento em que o ser humano se sente único, é um aspecto que vem transformando o consumidor e favorecendo a farmácia de manipulação. Tudo isso somado ao fato de nosso setor vir demonstrando seu valor para a sociedade de forma consistente ao longo dos anos. Não é à toa que a média de vida de uma farmácia de manipulação é de 14 anos, enquanto no Brasil, segundo o Sebrae, a média das empresas em geral é de 3 a 5 anos.

 

Qual é a perspectiva da Anfarmag frente ao crescimento do setor magistral?

Adolfo – A Anfarmag e o setor magistral crescem juntos. Quanto mais forte a associação, mais condições as empresas do segmento têm de prosperar. Ao mesmo tempo, à medida que as empresas prosperam, mais conseguem contribuir para o coletivo e, assim, continuar gerando crescimento. A nossa perspectiva é que a Anfarmag cresça numa faixa de 15% a 25% ao ano e que o faturamento da associação dobre nos próximos anos. No curto prazo, nossa meta é ter em nosso quadro associativista mais que a metade das farmácias atuantes no país – e em breve ela será alcançada.

 

Como você enxerga o futuro para o setor magistral?

Adolfo – Vejo o futuro do setor magistral de uma maneira muito promissora. Estamos na era da revolução 4.0 e o mundo está sofrendo uma avalanche de tecnologia. Junto com ela vêm os avanços na genética, o entendimento de que a prevenção da saúde é o melhor caminho para diminuir custos e melhorar a vida das pessoas, a telemedicina e as impressoras 3D. O mapeamento do DNA permitirá ao médico atuar preventivamente contra propensões a doenças desde o início da vida. A nutrição também vem complementando a nossa saúde de uma maneira genial. A farmácia de manipulação é o único modelo que prepara, personaliza e individualiza o produto para qualquer tipo de paciente. Nosso mercado tem tudo para ser altamente beneficiado com as mudanças que a sociedade irá assistir, mas, para isso, teremos que evoluir em determinados pontos, como na qualificação de empresários e na adoção de tecnologia cada vez mais avançada.

 

Qual será o papel do associativismo nesse futuro?

Adolfo – O nosso setor fará um Brasil muito melhor e mais saudável. A Anfarmag vai ser o grande vetor que encaminhará o futuro da farmácia de manipulação. Ela é o direcionador que as farmácias seguem e continuará se aprimorando para a autorregulação do setor e para encarar os grandes desafios desse momento novo. Apenas por meio da união será possível nos transformarmos, por exemplo, para tornar a terapêutica individualizada cada vez mais acessível e presente no sistema de saúde do país. O associativismo será fundamental para, em vez de esperarmos o futuro, nós mesmos construirmos os melhores caminhos para ele.

 

Depois de 33 anos de trabalho em conjunto, qual é o seu conselho para quem ainda não é associado da Anfarmag?

Adolfo – Meu conselho é que procure comparar como é a situação atual da sua empresa com como ela seria se estivesse usufruindo de todas as oportunidades que a Anfarmag oferece. Compare e você verá o quão lucrativo é estar dentro da associação. São inúmeros serviços e benefícios diretos para a empresa, além do valor inigualável de patrocinar uma entidade que representa, defende e promove o setor como um todo.