Compartilhar
Facebook
Twitter
Posicionamento Anfarmag sobre casos de doping
13/02/2020

A Associação Nacional de Farmacêuticos Magistrais (Anfarmag), como entidade que representa as farmácias de manipulação do Brasil, volta a afirmar que a contaminação cruzada em produtos e medicamentos é uma hipótese extremamente improvável.

As cerca de 7,5 mil farmácias de manipulação em operação no Brasil estão submetidas à Anvisa, às Vigilâncias Sanitárias Estaduais e Municipais, ao Exército, à Polícia Federal, à Polícia Civil e aos Conselhos Regionais de Farmácia, entre outras autoridades, sendo reguladas por uma série de regramentos rígidos que dão segurança a todas a as etapas do processo de obtenção dos produtos e medicamentos dispensados à população.

É por isso que esses são os únicos estabelecimentos autorizados por lei a preparar formulações farmacêuticas sob medida a partir da prescrição de profissionais de saúde habilitados. É por isso também que Anfarmag vem contestando cada alegação de defesa de atletas flagrados em exames antidoping.

O que precisa ser considerado é que, no Direito Esportivo, uma tese sabidamente errônea tem ganhado espaço. Nos últimos anos, nada menos que 30 atletas utilizaram a alegação de suposta contaminação de seus suplementos!

Não parece ser coincidência o fato de que essas alegações se tornaram cada vez mais frequentes após uma alteração no World Anti-doping Code. Emitido pela WADA (autoridade mundial antidoping), o documento reúne as regras mundiais para competições esportivas profissionais no que tange ao uso de substâncias. A partir de 2015, a publicação passou a prever uma redução da pena aplicada ao atleta (máximo de 2 anos de suspensão) no caso da ingestão de substâncias proibidas ter ocorrido de forma involuntária, por meio de produtos contaminados.

Essa foi a deixa para que as defesas de atletas brasileiros abraçassem a hipótese de contaminação em busca de penas mais brandas. Empurrar a culpa para as farmácias se tornou um álibi fácil.

A Anfarmag repudia alegações levianas, que colocam em cheque a confiabilidade de um setor fundamental para a saúde brasileira, que salva vidas de bebês prematuros, cura doenças de pessoas de todas as idades, promove a qualidade de vida e proporciona dignidade a pacientes até os últimos anos de vida.

Controle de processo, rastreabilidade, especificação de matérias primas, realização de procedimentos em laboratórios com áreas apropriadas, atuação e supervisão de farmacêuticos ao longo de todas as etapas de manipulação. Todos esses elementos descrevem o processo de preparação de produtos e medicamentos manipulados.

A Anfarmag está permanentemente à disposição das autoridades esportivas e da imprensa para esclarecer quaisquer dúvidas que restem sobre o processo de obtenção do medicamento manipulado e toda a segurança envolvida.